História do Jardim

Jardim Botânico D'Ajuda

Após o terramoto de 1 de Novembro de 1755, D. José I veio viver com a família para um palácio de Madeira, que ficou conhecido por “Real Barraca”, mandado construir na encosta da Ajuda. Este local tinha ficado pouco danificado, havendo edifícios suficientes para a instalação dos ministérios.

Em 1765, o botânico italiano Domingos Vandelli foi convidado para projectar o Real Jardim Botânico da Ajuda que viria a ser fundado em 1768. Situado junto ao Palácio do Conde de Óbidos ou “Paço Velho” e próximo da residência real, o 15º jardim botânico da Europa e 1º de Portugal foi inicialmente destinado à instrução dos príncipes D. José e D. João, netos do rei, e ao recreio da família real.

Vandelli foi nomeado Director do Real Jardim Botânico da Ajuda, em 1791, depois de ter passado pelo Jardim Botânico de Coimbra, também por ele desenhado e instalado. Durante a sua actividade, importou plantas e sementes de jardins botânicos de todo o mundo, tendo chegado a coleccionar mais de 5000 espécies. No entanto, nos princípios do século XIX, quando Brotero foi nomeado Director do Jardim, apenas existiam 1200 espécies em cultura, agrupadas segundo o sistema natural de Lineu.

O Jardim Botânico da Ajuda foi entregue, em 1918, ao Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa. A direcção do Jardim ficou confiada ao Prof. Rasteiro que procedeu à reconstituição do tabuleiro interior, desbravando-o e restituindo-lhe a traça de 1869.

A passagem do Prof. Caldeira Cabral pelo Jardim está associada ao restauro que se seguiu ao ciclone de 1941. Apesar de ter provocado muitos estragos, tendo destruído várias árvores, esta catástrofe natural veio devolver ao Jardim a sua vista sobre o Tejo e a luminosidade tão característica que se tinham perdido devido ao bosque denso formado durante o século XIX.

Entre 1993 e 1997, com o apoio do Prémio de Conservação do Património Europeu e do Fundo de Turismo, sob a orientação da Prof. Cristina Castel-Branco, procedeu-se a um restauro do Jardim com a recuperação da colecção botânica, o restauro do sistema de rega e a instalação do Jardim das Aromas.